Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Não está errado...

Tem dias que me sinto exausta logo pela manhã. Ok, há mães com mais dois ou três filhos e têm o direito de se sentir mais cansadas do que eu. Mas isso não invalida que eu não tenha dormido em condições ou que me doa o corpo todo ao acordar e me possa queixar disso. Porque hoje o meu filho chorou imenso. Acordou zangado e não queria cortar as unhas, nem comer, nem vestir… Duas horas depois eu já me sentia como se tivesse passado um dia inteiro.
Não está errado eu ter pensado em querer que ele fosse para a escola para depois poder respirar, sentar-me a tomar o pequeno-almoço e trabalhar sossegada. Estar tão concentrada nos meus objetivos até me esquecer do café e bebê-lo frio. Porém eu gosto tanto de o ter no meu colo, abraçar-me a ele como se a minha vida dependesse disso, cheirá-lo até o seu cheiro ficar entranhado no meu nariz, olhar para o lado e tê-lo ali tão perto e protegido. Há dias em que ele vai e eu não faço nada do que tinha previsto. Há outros em que ele fica e parece que t…
Mensagens recentes

Para que serve a "escola"?

Quando escolhemos a Creche para o nosso filho, nunca foi a pensar naquilo que ele iria “aprender”. Precisávamos essencialmente de um espaço onde sentíssemos segurança em todos os aspetos, para o poder deixar umas horas, principalmente quando tínhamos compromissos que não o podíamos levar sem ter mais ninguém com quem o deixar. Apesar de já ter dois anos, na altura, procurámos apenas por um lugar de conforto onde pudesse estar com outras crianças e ser acolhido por adultos que lhe dessem amor e possibilidade de se tornar autónomo como contributo para a sua felicidade e desenvolvimento. É certo que o contacto com crianças da mesma idade e as rotinas diárias lhe permitiram crescer e desenvolver-se mais. Mas se seria diferente caso ele continuasse em casa? Não posso afirmar que sim ou que não. Enquanto esteve, tenho a certeza de que estava bem, da mesma forma que tenho consciência de que era uma criança que exigia mais do que eu lhe proporcionava, admito. E todas as crianças são diferente…

Não gostam de mim!

Por estes dias, numa conversa antes de adormeceres, perguntava-te sobre a escolinha, os amigos, o que mais tinhas gostado de fazer nesse dia...
Como de habitual, entre músicas misturadas, histórias para dormir inventadas, risos que afastam o sono e beijinhos apaixonados, mencionaste quem são os teus melhores amigos na escola, aqueles com quem costumas brincar. "Então e os outros? Perguntei-te! "Não gostam de mim!" Respondeste-me! Não me recordo exatamente do que te disse a seguir. Quis dizer tanto, mas não me deve ter saído nada. Sei que te abracei com a força de uma mãe que naquele momento ficou sem reação, sem palavras, de coração no chão. Respirei fundo, voltei a mim e lembrei-te do que te digo em todas as despedidas: "gosto de ti, desde a Lua até aqui". Depois, dormi sobre o assunto e gostava que soubesses:

Só tens 3 anos, é impossível alguém no Mundo não gostar de ti! És uma criança, um ser puro e inocente, tão especial quanto aquilo que transpareces. Ten…

O caos do Amor...

Eu era a melhor Mãe do Mundo, até o meu filho nascer. Era a mãe perfeita, até ele estar nos meus braços. O meu parto ideal seria memorável, até se tornar lamentavelmente inesquecível.
Nos meus sonhos, amamentava enquanto quiséssemos, até perceber que ele nao mamava. Tinha a certeza de que o meu filho ia comer de tudo, até ele se tornar  intolerante. Não haveria esconderijos de chupetas, até ele ficar viciado nelas. Havia de desfraldar tão bem quanto eu, até chorarmos desesperados por não o conseguir fazer. Filho meu não fazia birras, até se atirar para o chão num hipermercado.
O meu corpo ia recuperar num instante, até declarar guerra aos espelhos, á roupa e á balança. Ninguém me diria o que fazer, até todos se acharem donos da razão. Os amigos estariam sempre aqui para nos apoiar, até que fomos pais e eles não. Prometemos que nada haveria de mudar, até que tudo ficou tão diferente! Iríamos continuar a sair só os dois, até que nos tornámos três. Nunca iríamos zangar-nos, até estarmos …

A Mãe do ano!

Tenho-me deparado com um anúncio que se refere a uma celebridade como "mãe do ano". Não está em causa a entidade muito menos a mãe em questão. Longe disso! Ao início parece uma mensagem brilhante, meticulosamente pensada. E certamente que foi. Está bonita e apelativa. Outra coisa não seria de esperar deste tipo de marketing. No entanto, será que já alguém parou para pensar no quanto esta, pode ser a mensagem de culpa para tantas mães?! Porque razão uma pessoa que tem vários "trabalhos" (Blogger, youtuber, influencer...) é considerada a "mãe do ano" e todas as outras que têm um único trabalho, como por exemplo serem " mães a tempo inteiro", não são consideradas coisa nenhuma? Ou será  que as que trabalham com um emprego de manhã á noite, por turnos e muitas vezes passam dias sem ver os filhos, são só "mães do dia", "mães de noite", "mães de fim-de-semana"?! Qual é realmente o objetivo de passar a ideia de que uma mãe…